Histórias de Assombração

Atualizado: Abr 19

A loira do cemitério


Cemitério

Durante minha infância, escutei muitas histórias que me davam pavor. Porém, havia uma que era aterrorizante até para os adultos, imagine para uma criança. Esta história é sobre o fantasma de uma moça loira que vagava perto do cemitério.


Cresci no Bairro Riacho, em Contagem, MG. Era um bom lugar, menos pelos fantasmas. Lá perto tinha um cemitério muito estranho, dava medo só de passar perto durante o dia. Reza a lenda, que a loira era uma jovem muito bonita e vaidosa, usava vestidos feitos com muito carinho por sua mãe. O pai a mimava com doces e gostosuras que ele vendia em sua quitanda.


Um dia a moça voltava da escola para casa, mas resolveu mudar o caminho para ver um rapaz que ela gostava. No meio do caminho, encontrou com um destino apavorante, ela gritou:

- Socorro! Ajudem! Mãezinha, paizinho me ajude, quero voltar para casa. - Gritou, gritou até não ter voz, mas ninguém a ouvia.


Os pais vendo que a filha não retornara, percorreu o caminho da casa até a escola, mas como a menina havia mudado de rumo, os pais não a encontraram. O Céu ficou escuro, podia-se avistar nuvens pesadas e acinzentadas, o pai observou:


- Virá uma tempestade daquelas. É melhor chamar a polícia e os vizinhos para nos ajudar.


A mãe, em prantos, gritava:


- Filha, filha... onde você está?


Já entardecendo a mãe se lembra do interesse da filha por um rapaz da vizinhança. Então eles percorrem os caminhos da escola até a casa do rapaz. Para a surpresa de todos, próximo da casa do rapaz, havia uma vala no meio da rua. Dentro, lá estava a moça loira, parecia sem vida.


Os bombeiros a retiraram da vala, levaram-na para o hospital, mas não adiantou, morreu no meio do caminho. A moça loira foi enterrada no cemitério perto de casa.


Os pais desolados, mudaram-se do bairro. Mas a moça continuou a procurar o caminho de casa. Então toda noite, a meia noite, ela se levanta da cova e sai pelo bairro a procura dos pais, às vezes, depara-se com boêmios e pergunta:


- Podeee... me ajudarrr... a chegar emmm... casa?


*História baseada em contos populares de Belo Horizonte e Contagem


#contos

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo